NATURAL DE ITURAMA, CANOÍSTA ANA SÁTILA LEVA RAÍZES MINEIRAS À 3ª OLIMPÍADA

A primeira atleta brasileira a desembarcar no Japão para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 foi Ana Sátila. Natural de Iturama, a canoísta leva raízes do interior de Minas à terceira edição olímpica da carreira e é um dos personagens da série "Nossos atletas", produção do MG1 e do ge que mostra atletas olímpicos da região de cobertura da TV Integração, afiliada Globo em Uberlândia.

Ana Sátila Vieira Vargas nasceu em Iturama, na região do Pontal do Triângulo, no dia 13 de março de 1996. Aos 25 anos, a atleta da canoagem slalom disputa mais uma Olimpíada: antes, competiu em Londres 2012 e Rio 2016. Além disso, ela tem três ouros em Jogos Pan-Americanos, um conquistado em Toronto 2015 e dois em Lima 2019.

A atleta olímpica morou pouco tempo em Minas Gerais. Ainda criança, mudou-se com a família para Primavera do Leste-MT. A família materna é de Iturama-MG, onde Ana Sátila morou os primeiros anos de vida. Ela lembra deste período no interior mineiro.

– Saí de Iturama muito nova, aos quatro ano e meio, quase cinco anos de idade. A lembrança que tenho é de criancinha, brincando na rua. Como é cidade do interior, tínhamos a liberdade de brincar na rua. Tinha um pé de goiaba na frente da nossa casa. Eu e minha irmã mais velha passávamos o dia fazendo bagunça e brincando na rua. Eu lembro também que, tempos depois, quando eu já estava morando no Mato Grosso, era minha maior felicidade visitar minha avó em Iturama. Era o lugar que eu tinha como casa. Sempre gostei muito de Minas – relembrou a atleta, que desde 2012 mora em Foz do Iguaçu-PR, local onde treina com a seleção brasileira de canoagem.

Ana Sátila começou a praticar natação por influência do pai, um nadador de maratonas aquáticas apaixonado pelo esporte. Aos nove anos, ela conheceu a canoagem no clube onde nadava. Sátila diz que sempre teve apoio dos familiares e ressalta quando decidiu que viveria do esporte.

– Sempre tive muito apoio da minha família, e meu pai sempre incentivando. Em 2008, ganhei meu primeiro campeonato brasileiro. Naquele momento, decidi que era a canoagem que eu queria seguir – contou Ana Sátila, que tem uma irmã mais nova, que também é atleta profissional da modalidade: Omira Estácia, que disputou os Jogos Pan-Americanos de Lima em 2019.

A trajetória olímpica de Ana Sátila começo cedo. Com apenas 16 anos, ela foi a atleta mais jovem da delegação brasileira nos Jogos Olímpicos de Londres em 2012 e ficou na 16ª colocação da categoria K1, prova de velocidade em caiaque. Em 2016, no Rio de Janeiro, a mineira terminou na 17ª colocação na mesma categoria. Para os Jogos de Tóquio, a canoísta conta que teve uma boa preparação e chega com a bagagem das outras duas edições que participou.

– Em Londres, eu tinha pouca experiência. No Rio, foi um dos desafios mais difíceis que eu já tive na minha vida. Agora é concentrar em Tóquio, que vai ser uma edição muito diferente dos Jogos. Felizmente, neste ciclo, conseguimos uma estrutura incrível para treinar através da Confederação Brasileira de Canoagem e o Comitê Olímpico Brasileiro, o que com certeza é um diferencial muito grande em uma preparação olímpica – afirmou Ana.

No ciclo olímpico para Tóquio, além dos dois ouros no Pan de Lima, a brasileira venceu etapas de Copa do Mundo e conquistou o título mundial da categoria sub-23. No Termômetro Olímpico do ge, Ana Sátila aparece entre atletas que "podem surpreender". No Japão, ela competirá em duas categorias da canoagem slalom: C1 (canoa) e K1 (caiaque).

Ana Sátila foi a primeira atleta do Time Brasil a desembarcar no Japão, no dia 5 de julho. Ela chegou com antecedência para participar de um período de treinamentos organizado pela Federação Internacional de Canoagem no canal artificial onde será realizada a prova de slalom. A disputa da modalidade nos Jogos Olímpicos começa em no domingo, dia 25, e vai até o dia 30.

Fonte: G1