Carreta que caiu no Rio Grande em Conceição das Alagoas é retirada e trecho entre MG e SP é liberado

Foi encerrada, às 23h45 deste domingo (23), a retirada da carreta bitrem com cerca de 70 mil litros de etanol que caiu no Rio Grande, em Conceição das Alagoas. O trânsito no trecho de acesso à região da Usina Hidrelétrica de Volta Grande, entre a AMG- 2540 e a SP-413, que estava interditado por causa da operação, foi totalmente liberado à meia-noite desta segunda-feira (24).

O acidente ocorreu na última terça-feira (18) e causou a morte do motorista.

O processo de remover o veículo de dentro do rio foi coordenado pelo Corpo de Bombeiros de Uberaba, junto com a equipe do Pelotão de Produtos Químicos, Biológicos, Radioativos e Nucleares (PQBRN) do Corpo de Bombeiros de Belo Horizonte.

A ação contou com apoio da Polícia Militar Rodoviária (PMRv), Polícia Militar de Meio Ambiente, Polícia Militar de São Paulo (PMSP), Prefeitura de Conceição das Alagoas e da transportadora responsável pela carga de combustível, que apoiou a logística fornecendo guincho e alimentação.

Operação

Segundo o Corpo de Bombeiros, para organizar os trabalhos, foi utilizada a técnica do Sistema de Comando em Operações (SCO), conforme o padrão para as ocorrências complexas, na qual são divididas tarefas, definidas as prioridades e feitos planos de ação constantemente.

A operação foi iniciada na manhã do último sábado (22), com o reconhecimento do terreno submerso pelos mergulhadores. Foram feitas duas rampas para que a cabine e os quatro tanques – sendo dois com o carregamento de etanol e dois com óleo diesel presos ao cavalo mecânico – fossem arrastados para fora do rio de maneira segura.

O trânsito no trecho de acesso à região da Usina Hidrelétrica de Volta Grande, entre a AMG- 2540 e a SP-413, teve que ser interditado e os motoristas tiveram que buscar rotas alternativas entre Planura (MG) e Colômbia (SP) ou entre Delta (MG) e Igarapava (SP).

Como previsto, não foi possível retirar o veículo ainda no sábado. Então, o trânsito foi liberado na tarde do mesmo dia. Porém, os trabalhos foram reiniciados na manhã de domingo e, assim que os equipamentos de tração foram posicionados, o trecho teve que ser novamente interditado.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o tanque separado do restante do segmento e que estava mais próximo da margem foi inertizado com espuma para reduzir o risco de explosão dos gases do etanol.

Acidente

 O acidente ocorreu na última terça-feira e, segundo relatos de testemunhas à PMRv, o motorista perdeu o controle da carreta bitrem quando trafegava pela ponte de Volta Grande e o veículo acabou caindo no rio, ficando submerso.

Pescadores que estavam próximos retiraram o motorista, de 59 anos, de dentro do veículo, e tentaram reanimá-lo, mas não conseguiram. O óbito foi confirmado ainda no local.

Mergulhadores do Corpo de Bombeiros ainda realizaram buscas no veículo para verificar se havia outras vítimas, o que não foi identificado.

Logo após o acidente, foi feito o monitoramento da carreta e da carga. O Núcleo de Emergências Ambientas (NEA) também foi acionado. O caso é investigado pelo Ministério Público, pois há a suspeita de que a carga seja clandestina.

Segundo a Polícia Militar de Meio Ambiente, a empresa responsável pelo transporte tem sede em Paulínia, no interior de São Paulo, e deve ser multada por crimes ambientais. Entre eles, a poluição e o transporte de produtos perigosos sem as devidas formalidades.

Fonte: G1 - Triângulo Mineiro